Todo ponto de vista é a vista de um ponto


Leonardo Boff, autor de “A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana”.

Leonardo  complementa meu título dizendo: Para entender como alguém lê é necessário saber como são seus olhos e qual é a visão do mundo.

Já dizia um famoso pastor evangélico:

Texto sem contexto é pretexto.

E olhe que hoje em dia o que mais se tem é desculpa pra tudo baseado em coisa nenhuma.

Mas o meu leitor atento, ao chegar até aqui deve estar se perguntando, o porquê de tocar neste assunto aqui, e a resposta é bem simples:

Entender o que escrevo e procurar outras referências.

Plagiando um pequeno parágrafo que li em algum site, saber ler, reler, compreender e interpretar deve fazer parte da cultura de um bom leitor. Mais ainda, entender o ponto de vista diferente do seu, não vai lhe ferir, no mínimo lhe agregará conhecimento.

Aqui em particular, mostrar o ponto de vista do escritor se faz necessário pois a idéia inicial é mostrar o cotidiano de uma pessoa com uma deficiência de saúde mental, por falta de um termo melhor, que neste caso sou eu. Infelizmente me veio a mente palavras diferentes para tocar no assunto.

Sabe aquele sentimento hostil em função de uma experiência ruim? E aquela intolerância ao que é diferente, por muitas vezes impostas pela sociedade ou o meio em que vive?

Estas opiniões ou sentimentos não têm um motivo aparente e talvez nunca tenha procurado fazer um exame crítico sobre isso.

E quando se trata alguém de forma injusta por causa de alguma característica pessoal ou desigualdade?

Raça, cor, religião, trabalho, idade, sexo, política entre outros te lembra algo?

Talvez não precise dizer mais nada, mas temos que tocar na ferida para sentir a dor dos que sofrem além dos seus problemas.

Eh!!!! O jeito é ter bom ânimo.

Se não conseguimos acabar com tantos preconceitos e discriminações, o que fazer pelos incapacitados da mente e os doentes mentais?

Tudo vai depender de como se vê as coisas.