Porque o Marvin?


Já faz muito tempo que uso a imagem de um robô nas minhas redes sociais, o Marvin.

Mas quem é? De onde veio? Porque então usa?

Resumindo, Marvin é  um dos protótipos da Companhia Cibernética Sírius projetados com a revolucionária tecnologia de Personalidade Humana Genuína (PHG). Possui um QI de 30 bilhões de vezes maior que o humano, e está de serviço na nave Coração de Ouro  designado para as tarefas mais banais possíveis (como abrir portas, acompanhar visitantes e sentar num canto de uma sala e ser ignorado por todos). Tarefas tão absurdamente simples para seu intelecto superior resultam no PHG do androide uma profunda e prolongada depressão, além de um sentimento de completo desprezo pela vida.

Marvin é uma personagens da série O Guia do Mochileiro das Galáxias, criada pelo escritor e radialista Douglas Adams.

Peguei empatia por ele no primeiro livro da série e por nenhuma razão aparente, simplesmente gostei da estória, todavia, analisando profundamente, acho que me sentia como ele. Não com tanto QI, nem mesmo pelas funções, mas, talvez, pelo fato de ser um robô com depressão.

Um outro talvez seja algumas de suas frases:

Você acha que o seu problema é sério? E eu? O que faço se eu sou um robô maníaco depressivo? Não, nem tente responder; eu sou 50 mil vezes mais inteligente que você e nem eu sei a resposta. Só ao tentar me colocar no seu nível intelectual, fico com dor de cabeça.

A Vida. Pode-se odiá-la ou ignorá-la, mas nunca gostar dela! Gozado, justamente quando você pensa que a vida não pode ser pior, de repente ela piora ainda mais.

Acho que muitas pessoas esperariam um tratamento melhor depois de esperarem 576.000 milhões de anos em um estacionamento. Mas eu não. Posso ser só um robô servil, mas sou inteligente demais pra esperar que alguém pense em mim um pouquinho.

Enfim é por ai, fazem-me rir e também pensar.

Acho o Marvin legal. Tem outras personagens na série fantásticos, como o Arthur, o vaso de petúnias e Ford, mas o robô é genial.

Por isso  o adotei, e torço para um dia não ser obrigado a tira-lo de minha vida digital, por força de direitos autorais, mas enquanto não incomodo ninguém, continuarei usando o Marvin como meu herói, tal como muitos que são fãs do Batman ou do Homem aranha aqui estou eu.

Pra finalizar agora um dialogo dele com Arthur.

“— Quer dizer — disse Arthur —, quer dizer que você pode ver dentro da minha mente?
— Posso — disse Marvin.
Arthur olhou para ele espantado.
— E…?
— Fico impressionado com o fato de você conseguir viver num lugar tão pequeno.”

Leiam, O Guia do Mochileiro das Galáxias, é muito bom