A verdade

A primeira vez que se ouve uma  informação tendemos a aceita-la ou não, tudo depende de quem lhe passa. A credibilidade deste indivíduo, mídia, ou seja lá o que for é quem vai determinar se é verdade ou não aquele fato. Mais interessante ainda é que este indivíduo pode já ter sido influenciado por outrem. É o poder da sugestão.

Uma coisa importante saber sobre o poder da sugestão é o fato do desconhecido virar verdade se o indivíduo for sugestionado.

Para não complicar, um exemplo se faz necessário.

Na infância, os pais são as figuras de maior credibilidade que um indivíduo pode ter. A primeira informação que seus pais dão  sobre insetos são que eles são perigosos e nojentos e vão fazer este indivíduo ter asco e medo destes bichos pelo resto de sua vida, mesmo que seja desmistificado o assunto depois de adulto.

Normalmente, a primeira informação sobre um fato, se apresentada por alguém com poder de influência e credibilidade será verdade incontestável.

A credibilidade pode ser determinada por vários aspectos:

  • Poder;
  • Oratória;
  • Confiança;
  • Qualidade das pessoas;
  • Crenças;

Alguns destes termos são até sinônimos mas é relevante descrevê-los.

Antes do detalhamento destes itens e interessante saber que a verdade só é imposta se o ouvinte for sugestionável. Daí o desinteresse de alguns governos e povos ignorar a educação dos seus. A educação diminui o poder de sugestão sobre o indivíduo. Vale salientar que a educação com métodos científicos, afinal, uma educação enviesada também cria zumbis altamente sugestionáveis a determinados assuntos.

O poder é um determinante para produzir mentes sugestionáveis, seja ele político, religioso ou moral. Dirigir e governar as ações de outros pela imposição da obediencia, domínio e influência é a melhor definição de poder que pessoalmente considero.

A oratória e a arte do ben dizer, da eloquência e da retórica.

Um bom orador tem a arte de falar em público com intuito de informar, influenciar ou entreter os ouvintes.

Desde a Grécia antiga foi-se apurando o dom da oratória, criando-se técnicas e regras adequadas para se produzir e apresentar um discurso e apurar as qualidades do orador.

Um bom orador gera em seu público credibilidade e suas palavras viram verdades.

A confiança traz para o indivíduo uma crença se um fato é verdadeiro ou não baseados nas experiências do interlocutor. Geralmente lealdade, competência, discrição, fé, segurança, familiaridade, e até intimidade são associados à um indivíduo em que se confia.

Eu acredito em quem confio, ou pelo menos darei um voto de confiança à algo passado por este indivíduo.

Sem ser redundante, a confiança é uma força muito sugestionável.

A qualidade das pessoas, semelhante a confiança, pode me permitir acreditar nelas. Posso não conhecer um indivíduo mas sua história de vida dá credibilidade para que eu possa acreditar nela.

As crenças são as maiores fontes de verdade que já conheci.

Normalmente denominada como fé. Não necessariamente ligada a religião, mas a fé pode ser associada à política, moral, pessoas e por aí vai.

Independente de religião costumo usar um texto da Bíblia para designar a fé, mas pode ser usada em qualquer outro contexto.

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das que se não vêem.

Hebreus 11:1

Acho que resume bem esta parte.

A minha verdade, talvez não seja a tua verdade, mas não me questione.

Questione a si mesmo e sempre procure mais de uma fonte de informação.

Marcoeli 1:1